quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Resenha Claros Sinais de Loucura by Karen Harrington

 Sinopse : Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra.

Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu.
Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.




 Resenha: Sarah Nelson, uma simples garota de onze anos como todas as outras, a não ser é claro, pelo fato de sua família ser completamente louca, como exemplo sua mãe que tentou matá-la, junto ao irmão gêmeo, que infelizmente não teve tanta sorte como Sarah. Sua melhor amiga é uma planta, que ela chama de "Planta" com "P" maiúsculo, e escreve cartas para Atticus, um personagem de O Sol é para Todos, como proposta de seu professor. Coleciona "palavras problema" em seu diário verdadeiro, isso porque ela tem na verdade dois diários, um que ela escreve coisas que realmente deveriam ocorrer, por ela ser apenas uma garota de onze anos. E o outro que ela conta o que realmente se passa pela sua cabeça. 
   O caso de Jane Nelson ficou tão famoso que a cada vez que alguma mãe tenta matar seu bebê, o caso é mencionado, por isso Sarah está sempre se mudando, junto com o pai que, para piorar as coisas é alcoólatra, com medo de que as pessoas descubram quem eles são. 
   Sarah, além de tudo o que acontece, ainda tenta achar sinais de que está ficando louca, assim como a mãe. Não sabe-se muito sobre ela, a não ser pelo fato ser ter um grau muito elevado de insanidade mental. Ao decorrer do livro Sarah tenta descobrir um pouco mais sobre o passado de sua mãe, para descobrir se realmente pode estar ficando louca, o que explicaria falar com um ser que faz fotossíntese e um irmão morto.
 Crítica: Na minha opinião o livro foi sensacional, mas o final deixou a desejar. O livro foi totalmente incrível, nunca tinha lido nada da autora e eu realmente me impressionei, sobretudo com a Sarah, pelo fato de ela ter apenas onze/doze anos, e ver o mundo de uma forma tão complexa, que eu mesma jamais veria. Não diria que foi um livro auto ajuda, nem mesmo um romance, claro que retratou um pouco, mas o assunto não estava em primeiro plano, até mesmo nem se desenvolve. 
  A autora retratou todo o sofrimento e de fato a loucura da personagem em si, e foi isso que me surpreendeu, eu não esperava tanto desse livro, então com certeza A-M-E-I. E eu na minha mais sincera opinião não o classificaria como romance, e sim como drama.
 Capa: Começando com a capa notavelmente linda, com essa cor "salmão"( eu realmente não sei o nome dessa cor ) e um passarinho, acho que seria o desenho de uma criança, o que se realmente for, acho que tem bastante a ver com a história. O pássaro está entregando o que eu acho que é uma carta, a carta para Atticus. Apesar de simples não deixa de ser linda, e eu realmente sou daquelas pessoas que julga um livro pela capa, então, bom trabalho Intrínseca.



                XOXO - Carol