domingo, 7 de setembro de 2014

Resenha: O Diário de Anne Frank

Sinopse: "12 de junho de 1942 - 1° de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-Belsen."



 O livro conta a história de Anne Frank, uma garota com uma vida normal até que a Segunda Guerra Mundial começa, obrigando-a a deixar sua vida para trás para se esconder no Anexo, como era chamado seu novo "lar". Ela dividia o lugar com mais uma família de judeus, os Van Daan. Sua relação não era muito boa com a família Vaan Dan que alegavam o quão falante e mal educada Anne era, e nem mesmo com sua mãe. A pessoa que mais admirava era seu pai, que sempre a tratou bem e nunca deixou de defende-la
  Dentro do Anexo, Anne aprende a ser uma nova pessoa, como ela mesma diz e aprende os vários pontos de vista das pessoas com quem convivia. Ao mesmo tempo, quando percebe o quanto precisava de alguém para desabafar, acaba se aproximando de Peter, filho do Sr. Van Daan.
 Depois de tempos difíceis, os refugiados são presos e levados para campos de concentração.
 Existem várias versões do livro, mas em minha opinião essa é uma das melhores, porque há todas as partes do livro, sem censura ( apenas de alguns nomes) sobre os fatos. Um livro muito interessante principalmente por se tratar do ponto de vista de uma adolescente, pois a maior parte dos livros que se tratam do holocausto são contados por pessoas mais velhas. O livro é muito bom superando minhas expectativas sobre, com uma harmonia entre a situação em que tudo se passava, a guerra, e a vida pessoal de Anne.


                                           XOXO-Gabriela